Aleatoriedades

segunda-feira, 3 de agosto de 2009



Eu admito, sou uma pessoa inconstante. Tem dias que eu quero comentar em todos os blogs da face da terra e falta tempo. Tem dias que eu estou tão desaminada com a rotina, que nem mesmo consigo escrever um só post para o meu blog. Porque assim, faculdade tinha todo stress dos trabalhos, preparações prévias e afins. Mas tinha gente diferente, desconhecida, todo dia. E gente conhecida também. Novidades, besteirinhas do dia-a-dia, a briga com o vizinho, o presente do namorado. Aquelas coisinhas que parecem tão bobas, que nós compartilhamos com os outros e os outros compartilham conosco. Acabou tudo isso. E me dá uma nostalgia. Porque querendo ou não, você perdeu um elo, um algo em comum com a galera com o término da faculdade.

A agitação da vida diminui um pouco. Os contatos, conversas, e-mails já não são tão frequentes. Às vezes você encontra um deles, e até se pega meio sem assunto. Porque seus caminhos antes cruzados, agora são distantes. E eu fico pesnsando, refletindo sobre estas coisas. Porque a rotina me cansa e eu preciso inventar coisas para me motivar. Eu preciso ver gente nova. Eu estou há 4 anos no mesmo emprego. Isso não é ruim. Mas, seria melhor se a empresa evoluísse. Eu vejo sempre as mesmas faces, as mesmas idéias e os mesmos problemas. Eu bato sempre na mesma tecla e quase nunca sou ouvida. Eu não consigo me conformar com a mesmice em nenhuma área da minha vida, porém, profissionalmente, parece que ela quer me sufocar. É difícil se sentir assim, sozinha e sufocada. Sentir como se o sistema quisesse sufocar você. Sugar suas forças, suas energias, fazer você desistir. O operacional precisa mudar. E quando são sugeridas novas mudanças a resposta dos funcionários é: Nós sempre fizemos assim. Mas, o mercado mudou e as pessoas querem fazer as mesmas coisas. E a liderança da empresa simplesmente aceita. Mesmo que isso acabe diminuindo os lucros, fazendo os vendedores correrem atrás de metas absurdas, irreais. Desgastados e desmotivados. Com a sensação de que seu esforço ou é em vão, ou não é valorizado.

A parte boa: sou teimosa demais para me deixar vencer. Depois de um tempo, eu esqueço absolutamente tudo que me desanima e me desagra e estou lá, cheia de forças again, lutando pelo que acho certo.

E eu também admito que sou dispersa, porque comecei este post com um assunto e terminei com outro completamente diferente. Eu e minhas divagações.


Share/Save/Bookmark

3 telhas:

Ana Dell' Aquila disse...

Variar é bom... rotina é boa em certos aspectos da vida, mas na maioria, realmente cansa...

Anônimo disse...

Procurei bastante teu blog, eu li ele ontem, senti como se eu que tivesse escrito aquilo, uma melancolia, uma tristeza, uma coisa ruim, tipo vazio, saudades da epoca em que se poderia confiar nas pessoas, que amigo é amigo, que seriados eram divertidos e comentados no colegio, em que a faculdade nao ficava so na faculdade mas que teriamos amigos fora dela.
Me sinto assim, gostaria de poder conversar com voce nao sei é possivel ou se queres.
Meu msn e gattha_malvada@hotmail.com.
ABRAÇOS BIA =]

Natie disse...

Ana:E eu me canso tão fácil da rotina. Não me canso das pessoas, mas das coisas rotineiras...

Bia: Claro que podemos conversar. Mandei e-mail para vc.

Related Posts with Thumbnails