Je ne vois pas la vie en rose

terça-feira, 19 de maio de 2009



OBS: Este post foi escrito nos dias 16 e 17 de maio. Porém, eu não estava com forças o suficiente para postar nestes dias.

A vida, às vezes, nos prega peças. Conduz nossos caminhos por situações que nos deixam, assim, sem chão. E aí sua rotina muda, de repente. Sem você pedir, sem você querer, sem você esperar.

Minha avó é uma das pessoas mais teimosas que eu conheço ever. Digo isso, porque também sou muito teimosa. Traço de família. Sim, minha família é composta por várias baixinhas teimosas e temperamentais, porém, cheias de charme (Ahh meu, o que é a vida sem humor?). Eu tenho 1,60 m de altura. Sou a teimosa mais nova, todavia mais alta.

Já perdi a conta de quantas vezes falei para minha avó ir ao médico devido uma dor na coluna lombar. Mrs Teimosa não me ouviu, não contou ao médico as dores de coluna e seguiu tomando paliativos nestes anos. No início do ano, viajou. E com o fucking medo que ela tem de avião, preferiu ir de ônibus. Você entende o fato de uma pessoa trocar uma viagem de avião de 3 horas, por 3 dias sacolejando em um ônibus, pelas bem conservadas rodovias brasileiras? Eu, não entendo. Ok.

Ela voltou em fevereiro. E continuava suas atividades normais. Minha avó tem 72 anos e sempre foi muita ativa. Em abril, suas dores na lombar aumentaram e começaram a atingir uma de suas pernas. Mas, não foi suficiente para ela ir ao médico. Semana passada ela se levantou de madrugada para ir ao banheiro e levou um tombo. A dor ficou insuportável. Insistimos até que ela concordou em ir ao Pronto Socorro. Ficou internada por alguns dias. No dia 7, saiu o diagnóstico: as dores de coluna são causadas pela osteoporose. Eu vi a chapa. A coluna da minha avó tem ossos desgastados. A viagem de ônibus só piorou a situação dela, aumentou o desgaste dos ossos, por isso a dor aumentou. A queda na última semana foi a gota d´água.

Situação atual: minha avó só pode levantar da cama para ir ao banheiro e tomar banho. Eu tenho que dar o dobro de atenção a ela que eu dava antes. Tenho que ficar atenta a cada movimento quando estou em casa. Porque, se não ficar atenta, ela se levanta sem precisar e corre o risco de levar outro tombo e agravar o estado.

Mas, chega de falar de coisas ruins. Não goste de supervalorizar a dor. Afinal, a vida é assim, people. Um dia um carinho, outro dia uma rasteira. O importante mesmo é não deixar a peteca cair, (noossa que expressão mais idosa, hahaha) ver sempre o lado bom das situações. Porque, depois de toda tempestade tem um arco-íris e amanhã é outro dia.


Share/Save/Bookmark

2 telhas:

Ana Dell' Aquila disse...

É, sempre gostei dessa frase de Scarlett O'Hara "Tomorrow is another day"... e a vida é assim. Sou rodeada de pessoas teimosas que não vão em médicos. Meu pai, custou, até ver que não dava mais, e agora vive indo. Meu marido, acho que precisa levar um susto pra poder, assim, como o pai dele, que depois foi tarde demais!

Mas é isso, espero que sua avó fique bem!

Beijo

Natie disse...

E o vento levou... lindo filme, né. Obrigada pelos desejos de melhoras à minha avó. Bjo

Related Posts with Thumbnails